mtc-estados-psiquicosA Medicina Tradicional Chinesa é cada vez mais conhecida e praticada no Ocidente. Esta “ciência” milenar é interessantíssima e dá gosto apreciar a sabedoria dos antigos ao utilizar a MTC e principalmente observar os paralelos que estabeleciam. Exemplo disso, é a relação estabelecida entre os órgãos do corpo humano e estados psíquicos que uma pessoa pode apresentar.

Na verdade, quem não se lembra de ouvir a avó, ou a mãe, dizer que aquela pessoa tem maus fígados, a caracterizar uma pessoa de mau feitio, que facilmente se encoleriza, e transmite uma exacerbada raiva perante qualquer situação que não seja do seu agrado.

Na MTC quem apresenta desequilíbrios energéticos ou outros, ao nível do fígado, é uma pessoa com um comportamento agressivo que facilmente perde a cabeça, e necessita de tratamento com vista a equilibrar e tonificar esse orgão. Quem apresenta uma chamada “alegria patológica”, ou seja, uma pessoa que está sempre a rir nas mais variadas e inconvenientes situações, necessita de um tratamento ao nível do coração.

Uma pessoa constantemente preocupada e em reflexão, normalmente pessoas que estudam muitas horas por dia, quer sejam estudantes ou não, segundo os nossos antepassados, mestres em sabedoria e praticantes da MTC, apresentam desequilíbrios no baço/pâncreas.

Finalmente, uma pessoa triste, precisa de tratamento, de equilibrar os seus pulmões. Num choque emocional, segundo a Medicina Tradicional Chinesa, o primeiro órgão a se afetado é o rim, este é associado ao medo.

Este é o tipo de ensinamento que passou de geração em geração na China e que perdura nos nossos tempos, por isso respeito e sigo estes conselhos nos tratamentos que faço.