O Tao Yinn associado a outras técnicas deu origem a uma massagem chamada Anma, que por sua vez, deu origem ao shiatsu.

Anma, é uma forma de massagem de origem indiana assimilada e divulgada por terapeutas do Japão. O nome da técnica deriva do nome de duas das manobras básicas que utiliza, o na (ou an), que significa apertar, e o ma, que significa esfregar.

Essa terapia baseia-se principalmente em pressionar e massajar pontos do corpo relacionados aos diversos meridianos estudados pela medicina tradicional chinesa, estimulando e promovendo uma cura natural, pois, quando estimulados, esses pontos aliviam a tensão muscular facilitando a circulação do sangue e da energia, o QI

Sendo seu objectivo principal facilitar o fluxo de Qi no corpo, a Amna pode ser feita para  diminuir o stress quotidiano que afecta um grande número da população. Esta técnica promove o relaxamento e o combate de diversas doenças como as disfunções de pressão arterial, asma, dores de cabeça, insónia e falta de vitalidade sexual.

Esta técnica também tem sido divulgada actualmente associada aos nomes: “Massagem Energética Japonesa”, “Massagem Sentada” e “Quick Massage”.

O Shiatsu originária do Anma é uma técnica terapêutica japonesa e faz parte da Medicina Oriental, teve sua origem na China.

A Tradicional Medicina Chinesa foi levada para o Japão aproximadamente no século X a.C.

Esta técnica tem predominado ao longo dos tempos, sendo que no século XX terapeutas japoneses desenvolveram o shiatsu de uma forma terapêutica profissional, entre os mais destacados temos o Tokujiro Namikoshi e Shizuto Masunaga. Desde a década de 50 o shiatsu foi reconhecido pelo governo japonês como terapia. É reconhecido pelo Ministério da Saúde do Japão como uma forma de manipulação que visa corrigir o mau funcionamento interno, promover, manter a saúde e tratar de doenças específicas.

O shiatsu tornou-se mais conhecido na Europa e Estados Unidos na década de 70 . No Brasil, o shiatsu veio através dos imigrantes japoneses ficando restrito à colónia nipónica e só em 1980 se tornou mais divulgado.

Em tempos remotos, na China o médico não era remunerado para assistir os doentes, mas sim para mantê-los saudáveis. O sistema de saúde era preventivo sendo que os tratamentos eram efectuados regularmente para evitar e prevenir as doenças.

Na Tradicional Medicina Chinesa havia vários métodos terapêuticos, os mais utilizados em diferentes épocas, além do Shiatus, eram:

A Acupuntura, tratamento com inserção de agulhas nos pontos de acupuntura localizados nos meridianos. A Medicina Fitoterápica, onde são receitados chás e remédios à base de plantas e ervas medicinais.

A Moxabustão, tratamento que utiliza o aquecimento dos pontos vitais, tsubos, a aplicação localizada do calor através da queima da erva Artemísia (Artemísia Vulgaris) em cone diretamente na pele ou em bastão com aplicação indirecta. A pele possui receptores distintos para cada tipo de estímulo externo que são transmitidos ao cérebro pelas fibras nervosas, no caso da moxabustão são evocados os receptores térmicos, corpúsculo de Krause, os corpúsculos de Ruffini e as vias termo analgésicas. Tao Yinn, um sistema de exercícios voltados para a saúde, combinavam auto-massagem e movimentos para desintoxicar e rejuvenescer.

Todos estes métodos terapêuticos foram levados ao Japão pelos chineses. Os japoneses adaptaram em sua vida muitos elementos da cultura chinesa, o shiatsu foi um desses elementos.