À medida que a acupuntura vai fazendo parte da vida do mundo Ocidental, cada vez surgem mais estudos, e noticias sobre esta prática milenar do mundo oriental. Na gravidez e também na amamentação, é preciso ter muito cuidado com tratamentos ou medicamentos que se fazem ou tomam, pois estes podem afetar o feto e trazer grandes complicações à vida deste pequenino e maravilhoso ser.

Após alguns estudos e investigação pode-se afirmar que a prática de Acupuntura na Gravidez e na amamentação é uma excelente escolha, não apresentando quase nenhuns efeitos colaterais.

No entanto, e como todos os tratamentos de saúde, a paciente deve ser vista por um terapeuta especializado, pois como em tudo, também na acupuntura existem pontos perigosos à vida em geral, e à gestação em particular.

Durante a gravidez, surgem muitas vezes dores de cabeça, enxaquecas, enjoos, dores nas costas, ansiedade, vontade de estar sempre a comer, azia, dores nas pernas, retenção de líquidos, enfim uma série de pequenos problemas que colocam em risco o bem-estar da mãe, que como é sabido, é muito importante  para o bem-estar do feto.

Logo nas primeiras sessões de acupuntura, a paciente sente uma melhoria significativa dos sintomas, o que leva a posteriormente, apenas necessitar de fazer “manutenção”. A acupuntura pode fazer “milagres” nas pernas inchadas e cansadas, e é também uma excelente terapia tanto na depressão durante a gravidez como na depressão pós-parto, que não deve nem pode ser menosprezada. A depressão pós-parto, é muitas vezes banalizada mas ela é terrível, tanto para a mãe que sofre e muito, como para o bebé que no limite (infelizmente algumas vezes atingido), pode até ter a vida em risco.

Cada vez mais se houve falar em acupuntura, comida vegetariana, reiki, shiatsu, acupuntura pré-natal, terapias alternativas, cura quântica…E muitas outras formas de cura e bem-estar aqui não mencionadas… O caminho do acreditar, da abertura da mente, vai-se fazendo com calma e devagar, mas é importante que se vá fazendo :)