areia de porto santoHá muito tempo que se apregoa, que a areia de Porto Santo tem propriedades terapêuticas e medicinais, assim como outros recursos naturais da ilha, e a verdade é que agora, a ciência vem comprovar a sabedoria popular.

Há dezenas de anos que as pessoas, normalmente as que padecem do sistema locomotor, fazem covas na areia seca, na zona de transição entre a praia e a duna frontal, deitam-se em cima delas e cobrem as partes afetadas do corpo, com uma camada fina de areia. Uma vez que a temperatura da areia é muito superior à do corpo, este normalmente transpira muito.

Este procedimento, que passou a ser chamado de “banho de areia” tem uma duração entre 15 a 20 minutos, o corpo transpirado fixa os grãos da areia, conferindo-lhe um aspecto de panado, e mal o paciente sente que o seu corpo está seco, dirige-se ao mar e retira a areia colada, com a água salgada.

A verdade, é que as pessoas entravam em Porto Santo de canadianas, faziam banhos de areia por duas ou três semanas e muitas delas saíam da ilha, pelo seu pé sem a ajuda das muletas :)

Só em 1995, se iniciaram os trabalhos preliminares de investigação das propriedades da areia de Porto Santo, em campo e laboratório. Algum tempo depois, surgiu a oportunidade de preparar um programa de doutoramento para o engenheiro João Baptista Pereira Silva, natural do Funchal, que tinha em parceria com Celso Gomes, na altura  professor na Universidade de Aveiro, colaborado nos trabalhos preliminares de investigação à areia de Porto Santo.

O programa da tese de doutoramento, tinha como objectivo principal estudar as propriedades da areia e  procurar explicações fundamentadas, para os benefícios que estas apresentavam em doenças do foro músculo-esquelético. Este programa também abrangia o estudo de outros recursos naturais de Porto Santo, como a água das nascentes, a água do mar, as argilas, principalmente as do tipo bentonite que são únicas em Portugal, os produtos hortícolas e frutícolas, que se diferenciam pelo seu sabor forte e agradável.

A tese, foi defendida em provas públicas em 2002, com o título de “Areia de Praia da Ilha de Porto Santo: Geologia, Génese, Dinâmica e Propriedades Justificativas do seu Interesse Medicinal“.

Os estudos de laboratório, confirmaram a origem biogénica da areia, hoje de cor dourada a justificar o nome de “Ilha da Praia Dourada” atribuído a Porto Santo. A sua constituição por bioclastos (na sua maioria), conchas ou fragmentos de bivalves, algas e outros seres, e por vulcanoclastos (componente minoritário), composto por magnetite titanífera, e feldspato.

A areia de Porto Santo, tem também na sua constituição cálcio, magnésio, estrôncio, iodo, fósforo, silício e enxofre. os efeitos terapêuticos destas areias,  são do tipo termoterápico e quimioterápico. O primeiro baseia-se na capacidade que a areia tem de receber e acumular, o calor proveniente da radiação solar, o segundo tem por base a incorporação, por absorção através da pele, dos iões libertados dos grãos carbonatados constituintes da areia, quando são parcialmente dissolvidos pelo suor.

As argilas, sobejamente conhecidas na Ilha, são usadas tanto para fins estéticos como também medicinais.

Porto Santo é muito aconselhado por médicos ortopedistas para o tratamento de problemas ortopédicos e reumáticos. Mas muitos procuram a praia dourada para tratar problemas relacionados com o stress, fadiga e esgotamentos.