O tremoço é uma leguminosa, da família da fava e da ervilha e muito rico nutricialmente. Aliás os benefícios dos tremoços são imensos e por isso  devem constar da dieta de cada um. Os tremoços são comummente consumidos como aperitivos na América Latina e noutros países da Bacia do mediterrâneo, além de Portugal, é o chamado “marisco dos pobres”, tão presente nas esplanadas e cafés e normalmente acompanhados de uma cervejinha :)

A influência positiva dos tremoços em doenças bem actuais como a diabetes e o colesterol é já um facto comprovado e demonstrado. Na verdade, o tremoço possui três vezes mais fibra do que o trigo e a aveia, e como é sabido, o consumo de fibras dietéticas, leguminosas secas (favas, ervilhas, lentilhas, tremoços), frutas e produtos hortícolas possuem algum efeito na redução do colesterol, pois impedem a sua reabsorção ou a dos ácidos biliares nos intestinos, e reduzem a quantidade de colesterol na circulação sanguínea.

No entanto, o colesterol total resulta essencialmente do que é sintetizado pelo fígado, e de uma  pequena parte ingerida a partir dos alimentos de origem animal. O que significa, que não é o colesterol presente nos alimentos de origem animal, que mais desequilibra o metabolismo do colesterol, mas sim o que é produzido pelo fígado. A quantidade de colesterol produzida pelo fígado varia de pessoa para pessoa e claro está, com a gordura que ingerida.

Assim, e se pretende controlar o seu colesterol,deve reduzir ou evitar o consumo de gordura de origem animal como o queijo, as natas, a manteiga, a carne etc. e substituí-los por alimentos com gordura de origem vegetal como o azeite, a pêra abacate, as nozes, etc. O peixe ao contrário do que se possa pensar, é um animal com uma gordura tipicamente vegetal, logo é também uma fantástica opção na ementa de quem quer e precisa de diminuir o seu colesterol.