lirios.pngAs nossas casas e escritórios têm cada vez mais equipamentos electrónicos e electrodomésticos, que são uma grande fonte geradora de campos electromagnéticos. Uma forma bonita, cheirosa, e eficaz de combater esses efeitos nefastos e outros, como a entrada de poluentes atmosféricos pelas nossas janelas, é termos plantas verdes na nossa casa. É verdade e é uma descoberta fantástica que Bill Wolverton, cientista da NASA fez.

Cada vez mais, as nossas habitações e escritórios se apresentam como espaços cheios de ácaros, fungos, gases provenientes do exterior, libertados pelos sistemas de ar condicionado e tudo isto misturados com substancias que naturalmente se desprendem das carpetes, móveis, cortinados e aparelhos electrónicos. A verdade é que muitas das nossas dores de cabeça, irritação, dores de garganta, cansaço, nariz congestionado, irritações na pele entre outros problemas, resultam destes ambientes, onde se suspeita que o maior responsável sejam os compostos orgânicos voláteis dos quais já se identificaram mais de 250 existentes em atmosferas de escritório.

Assim, e seguindo a proposta apresentada por Wolverton, devemos ter em nossa casa plantas capazes de anular estes efeitos nocivos à nossa saúde, como a azaléia, a tulipa, o bambu, estas capazes de remover os formaldeídos da atmosfera, os lirios que gostam de acetona, benzeno, formaldeídos, e toluenos e outras com características purificadoras do ar fantásticas, as espadas de São Jorge, a avenca, e os fetos.

Quanto ao que nos diziam os nossos avós que ter plantas nos quartos ou junto a nós quando dormimos, é mau porque nos retiram o oxigénio, não passa de mais um MITO. A quantidade que a planta absorve é equivalente a uma inspiração, não é portanto significativa.